sábado, novembro 16

a verdade é que a saudade assola-me. A saudade de escrever, de falar com o coração, de ouvir a o som da chuva a bater no grande jardim em frente ao meu quarto e sentar-me na varanda com o meu pequeno caderno vermelho a escrever. Sinto saudades de quando as palavras queriam sair, quando com carinho me chegavam ás mãos e num instante, sem pensar, escrevia. tenho apenas saudades do eu feliz enquanto o fazia! 

2 comentários:

Sá :) disse...

Pior é quando te dás conta que perdeste a capacidade de falar com o teu coração como antes... é triste :/

filipa alexandra disse...

Não deixes nunca de escrever, fazes falta a este meio!
Ergue-te, um beijinho <3